Notícias

Corpo de Bombeiros tem novo comandante-geral

@Fonte: Pernambuco.Com - Local - 07/11/2019


Neste fim de semana acontece a 5ª edição do 'Construalpha PE', evento voltado para a construção civil de Pernambuco, na área externa do Clube Alphaville Pernambuco 1, em Jaboatão dos Guararapes. Neste ano, o evento contará com a participação da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, que montará um estande para tirar dúvidas do público no que se refere aos requisitos necessários para construir ou reformar.

A proposta do evento é de orientar os clientes e expositores sobre as questões legais que precisam ser cumpridas, além de outros serviços que serão oferecidos pela prefeitura.

Ainda, no estande da prefeitura, os participantes do evento poderão negociar dívidas de IPTU com descontos que vão até 90%, nos juros e multa para pagamento à vista e percentuais menores, de forma escalonada, no caso de parcelamento, além de preços e condições especiais para pagamento de ITBI, entre outros tributos.O coronel Rogério Antônio Coutinho da Costa, de 48 anos, é o novo comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Pernambuco. Com 28 anos de corporação, ele foi empossado na manhã desta quinta-feira (7) pelo governador Paulo Câmara, no Quartel do Comando Geral, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife. Coutinho substitui coronel Manoel Cunha, que encerrou a gestão após 5 anos e 4 meses.

Durante as duas décadas que faz parte do corporação, o coronel Coutinho já foi diretor de Logística e Finanças e do Comando do Grupamento de Incêndio, Salvamento e Atendimento Pré-hospitalar (GBAPH), alcançando a maior patente Bombeiro Militar em 2015. A carreira dele começou na Academia de Polícia Militar, no município de Paudalho. Casado e pai de uma filha, o comandante é graduado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

A partir de agora, a liderança dos 2,5 mil bombeiros será encarado como mais um desafio da profissão. "Fico muito feliz e honrado. Temos um grande desafio pela frente. Vamos dar continuidade ao trabalho do ex-comandante Cunha. Temos o estado inteiro para tomar conta e toda a sociedade pernambucana para cuidar. Mas com o apoio da Secretaria de Defesa Social, dos órgãos operativos e das Polícias Militar, Civil e Científica, com certeza faremos um bom trabalho", comentou o comandante.

Sobre os planos para a nova gestão, Rogério Coutinho afirma que dará continuidade ao processo de interiorização com a inauguração de unidades no Agreste e no Sertão. "Eu fazia parte da gestão anterior. Então participei de todo o planejamento e o objetivo inicial é a gente concluir alguns projetos que ficaram pendentes, como os quartéis que serão inaugurados em Arcoverde, Macaparana e continuar com as aquisições que tiveram os processos licitatórios encaminhados. Já temos recursos disponibilizados para receber materiais e viaturas para dar um suporte maior ao atendimento à sociedade", disse.

O coronel Manoel Cunha, que comandou a corporação nos últimos cinco anos, definiu sua gestão como participativa e comentou que sai com sentimento de dever cumprido. Durante seu comando, ocorreram 3,3 mil progressões de carreira. "Trabalhamos com todos oficiais e praças, entendo os anseios da tropa e da população. Contei com muito apoio do governador do estado, que nos deu as ferramentas necessárias para melhorar os serviços do bombeiro no interior do estado, principalmente, e a progressão de carreira da minha tropa. Agradeço ao governador e ao secretário toda confiança em mim depositada nesse período de gestão e conclamo todo o efetivo da minha amada corporação a se integrar e apoiar o comandante Coutinho", comemorou.

Durante a transmissão de cargo, o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua elogiou o trabalho do coronel Cunha lembrando que foram inauguradas oito unidades durante os últimos cinco anos. "É um momento importante, depois de quase seis anos, essa mudança de comando no Corpo de Bombeiros. O ex-comandante Cunha fez um belíssimo trabalho à frente da corporação, com a renovação dos quadros, houve concurso público, convocação de novos bombeiros militares em 2018. Ainda fizemos a interiorização, que foi muito importante para o estado com oito novas unidades. Agora é dar continuidade e consolidar todo esse ganho que foi realizado ao longo desses últimos anos e melhorar ainda mais a qualidade do serviço prestado", afirmou.

- Concurso:

Durante a posse, um grupo de 20 remanescentes do concurso de Bombeiro Militar realizado em 2017 cobrou do secretário uma resposta sobre novas convocações. "São 245 aprovados em todas as etapas do concurso e só falta a convocação do governador. A última promessa foi que em dezembro desse ano iria começar uma nova turma de formação para os praças. Continuamos aguardando", comentou Felipe Fonseca, que está desempregado na expectativa de ser nomeado.

Questionado sobre a possível chamada dos remanescentes, Antônio de Pádua não fixou prazo. "A gente está trabalhando para viabilizar o mais rápido possível a convocação dos candidatos remanescentes do concurso, que inicialmente foi previsto para 300 candidatos, que já foram nomeados em 2018. Existe esse remanescente e estamos trabalho para a convocação", comentou.

Rua de Olinda com 13 casas tem 27 pessoas doentes com arboviroses

@Fonte: Pernambuco.Com - Local - 03/01/2020


Depois de passar quase “ilesos” por epidemias anteriores de arboviroses, moradores de uma rua no bairro de São Benedito, em Olinda, estão atordoados com o mosquito Aedes Aegypti neste verão. Desde o começo do mês de dezembro, 27 pessoas da Travessa São Benedito foram acometidas por sintomas característicos de dengue, zika e chikungunya. Em plena época do ano mais propícia à proliferação do mosquito vetor dessas doenças, os moradores denunciam que o acúmulo de resíduos de obras nas margens do Rio Beberibe estariam servindo de focos.

A Travessa São Benedito é uma rua de 13 casas e 43 metros. De todos os imóveis, apenas dois que estão fechados não tiveram moradores doentes desde dezembro. Em alguns deles, todos os moradores adoeceram, caso da residência da auxiliar administrativa Lucy Siqueira, 62 anos. “A primeira pessoa adoeceu tem uns 15 dias. Minha filha ficou com a boca estourada, chegou a desmaiar. No meu caso, senti moleza e muita dor no corpo. Minha mão ainda está inchada”, contou.

Na casa do lado, três pessoas adoeceram, sendo a primeira delas no começo de dezembro. “Comecei com dores fortes no corpo, nas articulações, e febre. Passei uma semana assim, mas estou com as dores até agora. Sinto dores nas mãos e nos pés, principalmente quando acordo. Minha irmã ficou com manchas, com o rosto todo inchado. Aqui na rua é mais fácil contar quem não ficou doente do que quem ficou”, afirmou a auxiliar administrativa desempregada Cláudia Patrícia Fernandes, 43 anos.

Na casa dela, a irmã adoeceu por volta do dia 22, e o pai está doente desde o dia 22. Nesse intervalo de tempo, a mãe de Cláudia faleceu. “Como ela tinha problemas no coração, não achamos que têm correlação com as arboviroses. Mas, dias antes do falecimento, ela estava reclamando de dores”, disse Cláudia. Por causa da quantidade de casos, a família mudou a rotina. Passou a usar inseticida o tempo todo dentro do imóvel e a usar repelente constantemente na criança de cinco anos que vive com eles, uma sobrinha de Cláudia.

Com as mãos e joelhos ainda inchados, a empregada doméstica Luciene Melo, 42, lamenta ter pedido o emprego em função da doença. “Fiquei com os dedos inchados, a pele seca, muitas dores. Estou há 20 dias assim. Começou com uma febre e manchas vermelhas pelo corpo. Até agora, não consigo pegar nos objetos direito. Por causa disso, deixei de ir trabalhar e perdi meu emprego”, disse.

Segundo a professora aposentada Adaneusa Alves, 62, a comunidade nunca registrou tantos casos de arbovirose ao mesmo tempo. “Das outras vezes, uma ou outra pessoa ficava doente. Agora, a rua inteira está assim. Aqui em casa, eu e minha irmã adoecemos. Por coincidência, o agente de saúde ambiental e controle de endemias (Asaces) tinha visita agendada aqui quando começaram os casos. Ele olhou casa por casa, nos orientou, mas não encontrou focos. Depois, veio outro e disse que os focos eram na obra que fica aqui perto do Rio (Beberibe)”, disse ela. As obras fazem parte da Via Metropolitana Norte e margeiam o Beberibe.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Olinda informou que dois agentes de saúde atuam na localidade, realizando visitas educativas e de inspeção. O levantamento de Índice Rápido (LIRAa) em 2019 foi de 1,9%, acima do de 2018 (0,9%), deixando a localidade em situação de alerta. O aumento, segundo o órgão, é decorrente as intensificações das ações com mutirões nos locais e também a sazonalidade natural de surgimento dos casos de arboviroses a cada dois anos. O órgão, entretanto, não esclareceu como vem monitorando a situação específica da Travessa São Benedito.

- Verão é época propícia à proliferação de mosquito vetor:

O período de verão costuma ser uma época crítica para a proliferação de focos do Aedes aegypti, vetor da dengue, zika e chikungunya. Neste ano, Pernambuco registrou, até o dia 21 de dezembro de 2019, um aumento de casos notificados das três doenças, em comparação com o mesmo período de 2018. As notificações de dengue aumentaram 163%, enquanto as de chikungunya aumentaram 142% e as de zika, 156%. O número de mortes investigadas é de 120, 50% a mais do que no mesmo período de 2018.

O verão costuma ser uma época preocupante para os casos de arboviroses por causa das chuvas e também pelas condições de clima, mais quente e úmido, considerado ideal para a eclosão dos ovos do mosquito. Por isso, o cuidado nesta época do ano deve ser redobrado. Cerca de 80% dos focos do vetor estão nas residências. O Ministério da Saúde recomenda algumas medidas para se proteger. Entre elas, estão: tampar os tonéis e caixas d’água, manter as calhas sempre limpas, deixar garrafas sempre viradas para baixo, tampar lixeiras, deixar ralos limpos e cobertos com tela e preencher os pratos de vasos com areia.

Neste começo de mês, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) deverá divulgar o boletim epidemiológico dos casos de arboviroses de todo o ano de 2019. Até o último dia 21 de dezembro, segundo o Índice de Infestação Predial do 6º ciclo do LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti), 34 municípios estavam em situação de risco de surto, 91 em situação de alerta (49% do total de cidades do estado) e 59 em condição satisfatória. O estado ainda não divulgou o plano de enfrentamento às arboviroses de 2020. O do ano passado foi divulgado no fim de janeiro.