Notícias

Decreto 49.487/20 – Retomada dos Eventos Sociais.

@Secovi - 29/09/2020


Ilustríssimos(as) Srs.(as) responsáveis legais dos condomínios residenciais e não residenciais, administradoras de condomínios, administradoras de imóveis e imobiliárias.

O Governo do Estado de Pernambuco, no dia 25 de setembro de 2020, através do Decreto nº. 49.487/20, no seu artigo 1º, alterou os artigos 11, 12, 13, 17 e 18 do Decreto nº 49.055/20, permitindo a retomada a partir do dia 28 de setembro de 2020, das realizações de eventos sociais, limitados a 30% (trinta por cento) da capacidade do ambiente, com até no máximo 100 (cem) pessoas.

Portanto, o uso do salão de festa do condomínio está liberado para os eventos sociais, devendo ser respeitado os mesmos limites de capacidade impostos para a realização de assembleias, ou seja, 30% (trinta por cento) da capacidade do ambiente em que será realizado, com até no máximo 100 (cem) pessoas, observadas as normas sanitárias relativas à higiene, ao distanciamento mínimo e ao uso obrigatório de máscara.

Feitas tais considerações, esperamos auxiliá-los no enfrentamento deste contexto de calamidade pública, sendo certo que mantemo-nos ao inteiro dispor por meio do telefone (81) 2123-9400 das 08:00h às 18:00h, de segunda a sexta-feira.

Sem mais para o momento, renovamos nossos protestos de estima e consideração.

Atenciosamente,
Márcio Gomes
Presidente

Entre palafitas e sonhos de vida melhor

Moradores do Bode comemoram transferência a conjunto habitacional, mas temem custos com contas e distância da produção de mariscos

@Fonte: Dário de Pernambuco - Vida Urbana - 25/08/2020


Um caminho feito por tábuas na entrada das palafitas nos fundos da comunidade do Bode, na Zona Sul do Recife, leva a um labirinto de becos onde estão barracos sobre estacas. As palafitas abrigam um universo de pessoas que têm como sustento o rio. Foi lá que encontramos a marisqueira Dilma Pessoa, 51, mãe de 15 filhos. Nascida e criada na comunidade, ela ainda não sabe ao certo como será sair do lugar que conheceu como moradia desde que nasceu e se mudar para o habitacional Encanta Moça 1 e 2, que serão construídos no antigo terreno do aeroclube.

“Eu passei a minha vida toda aqui. Por mim eu não sairia. Criei todos os meus filhos aqui e gosto daqui”, afirmou sorridente. Ao lado dela, a filha de 31 anos, Angelina Pessoa, também não gostaria de sair de perto do rio. “A gente faz tudo aqui. Lá no conjunto vai ter conta de luz e água para pagar. Vamos ficar distantes dos mariscos. Eu prefiro meu barraco e ter o sustento para os meus filhos”, revelou.

Há três anos, a Prefeitura do Recife fez o cadastro das famílias e numerou cada um dos barracos. O de Laudicéia da Siqueira, 60, quase foi perdido. Mãe de oito filhos, ela acordou de madrugada com o piso cedendo. “Só deu tempo de correr com os meninos. Hoje eu estou no barraco do vizinho até que o meu seja consertado. Com o movimento das águas, as estacas acabam saindo do lugar”, contou.

Viver em cima da maré não é fácil e muita gente conseguiu aterrar os barracos. “Mesmo assim quando a maré sobe a água entra nas casas. Não vejo a hora de sair daqui”, revelou dona Marileide Severino da Silva, 52 anos.

De acordo com o secretário de Infraestrutura do Recife, Roberto Gusmão, os dois conjuntos residenciais estão bem próximos do Rio Pina e os moradores vão poder continuar a ter o rio como sustento. “Assim como ocorreu com a Ilha de Deus, entre outras, haverá ações da Secretaria de Desenvolvimento para que seja destinada uma área onde as pessoas poderão exercer suas atividades. Todas as palafitas do Bode serão removidas e a área será urbanizada para evitar invasões”, destacou.

Um dos desafios, segundo o secretário é manter as pessoas nos habitacionais. Muita gente tenta vender, o que é proibido, e acaba voltando àcondição de miserabilidade. “Quando uma pessoa recebe um apartamento desse, vale cerca de R$ 70 mil e muita gente quer vender. É preciso conscientização para evitar que isso ocorra”, diz.

PROJETO

Os 600 apartamentos terão entre 45 e 47 metros quadrados, com dois quartos, sala, banheiro e cozinha, e acabamento estabelecido pela atual gestão, com cerâmica nas áreas molhadas, reboco, forro de gesso e pintura completa interna e externa.