Notícias

Decreto 50.470 - Flexibilização das medidas restritivas a partir de 1º de abril

Orientações a cerca da aplicabilidade do Decreto Estadual 50.470 26 março 2021

@Secovi - 31/03/2021


Considerando as ações dos entes públicos e privados no âmbito do combate à pandemia do Coronavírus (COVID-19), foi publicado, em 26 de março de 2021, o Decreto Estadual nº 50.470/2021, o qual estabelece medidas temporárias para enfrentamento do cenário emergencial da saúde pública. Para mais informações baixe o arquivo.

Índice de lixo doméstico em ritmo crescente durante a pandemia

@Fonte: Diário de Pernambuco - Vida Urbana - 03/05/2021


Com o isolamento social imposto pelas autoridades para controle da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a prática do trabalho em casa, o volume de lixo produzido nas residências aumentou e o assunto foi para o centro das discussões sobre sustentabilidade em 2020 e continua em destaque. A geração de resíduo domiciliar cresceu em mais de 10% e deve chegar a aproximadamente 25% ou mais, segundo a Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais).

A engenheira ambiental da Locar Gestão de Resíduos, Carolina Buarque, observa que o volume de lixo mudou de localização, o que antes estava predominante em bairros comerciais, agora está em bairros residenciais. “O problema é que as pessoas não separam o lixo como deveriam. Misturam o orgânico com o inorgânico, colocam materiais contaminados no lixo comum. E se, quem tiver contato com esse material, não estiver bem preparado, pode se contaminar”, diz.

Diante das mudanças geradas pela pandemia, pode-se observar o crescimento do volume de resíduos recicláveis devido ao maior número de compras em delivery. “O lixo que está sendo gerado nas casas é muito mais reciclável do que orgânico, fruto das compras online que chegam em caixas, papel, plásticos”.

Consumo
A alta demanda por produtos que utilizam matéria-prima proveniente do meio ambiente ocorre em escala cada vez maior, devido ao alto nível de produtividade e consumo. A sociedade moderna conforta-se em consumir, sejam eletrodomésticos que tornam o cotidiano mais prático ou em algo só para satisfazer o desejo, não por necessidade. Com isso, um grave problema ambiental é gerado decorrente dos hábitos da população em relação ao consumismo desenfreado e a geração de resíduos com descarte inadequado.

Ao longo dos anos, o efeito negativo do despojo incorreto de lixo resultou em doenças e prejuízos ecológicos e sociais. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) estabelece que a responsabilidade pelo ciclo de vida dos produtos deve ser compartilhada para que haja a disposição final adequada.

De acordo com dados da Abrelpe, apesar da possibilidade de se reciclar 30% de todo o lixo produzido, a taxa de reaproveitamento chega a apenas 3% desse total. Com isso, o Brasil tende a perder dinheiro com o descarte incorreto de lixo, pois deixa de aproveitar oportunidades de grande viabilidade econômica.