Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site.
Ao utilizar nosso site e suas ferramentas, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

SECOVI-PE - Política de Privacidade

Esta política estabelece como ocorre o tratamento dos dados pessoais dos visitantes dos sites dos projetos gerenciados pela SECOVI-PE.

As informações coletadas de usuários ao preencher formulários inclusos neste site serão utilizadas apenas para fins de comunicação de nossas ações.

O presente site utiliza a tecnologia de cookies, através dos quais não é possível identificar diretamente o usuário. Entretanto, a partir deles é possível saber informações mais generalizadas, como geolocalização, navegador utilizado e se o acesso é por desktop ou mobile, além de identificar outras informações sobre hábitos de navegação.

O usuário tem direito a obter, em relação aos dados tratados pelo nosso site, a qualquer momento, a confirmação do armazenamento desses dados.

O consentimento do usuário titular dos dados será fornecido através do próprio site e seus formulários preenchidos.

De acordo com os termos estabelecidos nesta política, a SECOVI-PE não divulgará dados pessoais.

Com o objetivo de garantir maior proteção das informações pessoais que estão no banco de dados, a SECOVI-PE implementa medidas contra ameaças físicas e técnicas, a fim de proteger todas as informações pessoais para evitar uso e divulgação não autorizados.

fechar

Notícias

Decreto 50.470 - Flexibilização das medidas restritivas a partir de 1º de abril - SECOVI-PE

Decreto 50.470 - Flexibilização das medidas restritivas a partir de 1º de abril

Orientações a cerca da aplicabilidade do Decreto Estadual 50.470 26 março 2021

@Secovi - 31/03/2021


Considerando as ações dos entes públicos e privados no âmbito do combate à pandemia do Coronavírus (COVID-19), foi publicado, em 26 de março de 2021, o Decreto Estadual nº 50.470/2021, o qual estabelece medidas temporárias para enfrentamento do cenário emergencial da saúde pública. Para mais informações baixe o arquivo.

Para o imóvel caber no bolso do cliente

@Fonte: Jornal do Commercio - Economia - 08/06/2021


Assim como fez ao longo de 2020, por conta da pandemia da covid-19, a Caixa Econômica Federal também permitirá este ano que os clientes com financiamento imobiliário contratado possam reduzir o valor das parcelas ou até mesmo pausar o pagamento por um prazo de até seis meses. A medida vem junto com outra facilidade anunciada pelo banco ontem (7). Ao abrir mão dos leilões, a Caixa passará a financiar imóveis tomados em até 100% do valor, excluindo a necessidade do pagamento de entrada.

O pagamento parcial da prestação pode ser feito com redução de até 25% em seis meses, chegando até 74,99% - quando acordado por um prazo de três meses. Acima desse percentual, o banco também se compromete a fazer negociações, mediante avaliação da instituição e comprovação da perda de renda do mutuário. Aos clientes que são beneficiários do auxílio emergencial ou estão recebendo seguro-desemprego será dada a opção de suspender os pagamentos por até seis meses.

"Mais uma vez, ouvindo a população, estamos oferecendo redução no pagamento das prestações. E como normalmente faltam de 10 a 15 anos (para quitação) o acréscimo será pequeno. Se você tem a opção de utilizar redução de 25% em seis meses, não é que depois disso volta a cobrança em um mês só. Volta durante todo o tempo do crédito imobiliário restante", disse o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

O anúncio foi feito durante uma transmissão ao vivo do banco para informar o volume de financiamentos imobiliários de janeiro a maio de 2021. Este ano, de janeiro a maio, a Caixa somou R$ 523 bilhões na carteira de crédito imobiliário. O crescimento é de 9% em relação ao mesmo período de 2020, mantendo o banco como o maior financiador da casa própria, com 68% do mercado. A concessão do crédito imobiliário bateu os R$ 52,4 bilhões, numa elevação de 41,4% sobre os primeiros cinco meses de 2020.

FEIRÃO

A partir do dia 25 de junho, a Caixa dará início ao seu primeiro feirão de imóveis totalmente digital. Ao todo estão em oferta 180 mil imóveis. Seis mil deles com o valor totalmente financiado.

Abrindo mão dos leilões, a Caixa passará a colocar de volta no mercado os imóveis tomados de uma nova maneira. A saída encontrada pelo banco, segundo Guimarães 'visando uma economia' em relação à saída do ativo, foi começar a financiar 100% desses imóveis. O que não era possível devido a uma limitação do Banco Central.

O financiamento de 100% do valor do imóvel será oferecido por meio da linha com remuneração da Poupança. As taxas são a partir de 2,50% mais remuneração da Poupança, segundo o banco. Essa linha já representou entre janeiro e maio deste ano mais de 40% das contratações da Caixa no segmento imobiliário.

O feirão da Caixa vai do dia 25 de junho até o dia 4 de julho, totalmente online - pelo aplicativo de habitação do banco. Pelo app também devem ser feitas as adesões à redução dos parcelamentos. O contrato não fica isento da incidência de juros remuneratórios, seguros e taxas. Os juros e o prazo contratados inicialmente também não sofrem alteração, com os valores pendentes diluídos ao longo das demais parcelas.