Notícias

Tabela de Contribuição Sindical 2018

@Secovi-PE - 18/01/2018


O Sindicato das Empresas de Compra e Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de Pernambuco - SECOVI –PE, sediado na Rua Ernesto de Paula Santos,960 lj, 03 Boa Viagem , inscrito no CNPJ sob o nº 24.566.663/0001-36, devidamente registrado no Ministério do Trabalho e Emprego, Código Sindical nº 000.002.000.89616-7 com base territorial no estado de Pernambuco, por seu representante legal, com fundamento nos artigos 8º e 149º da Constituição Federal; artigo 217, inciso I da Lei 5.172/1966 – Código Tributário Nacional; e, em atendimento ao disposto nos artigos 580, 587 e 605 do Decreto Lei nº 5.452/1943 – Consolidação das Leis do Trabalho, NOTIFICA em pública forma os representantes legais dos condomínios residenciais, comerciais e mistos , dos flats e shopping centers, das empresas de compra, venda, locação e administração de imóveis próprios ou de terceiros e de condomínios, das incorporadoras de imóveis e das loteadoras, na sua base de representação sindical, que a partir das alterações introduzidas pela Lei nº 13.467/2017 o pagamento da Contribuição Sindical passou a ser facultativo; entretanto, permanece sendo a principal fonte de custeio para o exercício das prerrogativas da entidade sindical – representação e defesa dos interesses coletivos da categoria.
A opção do representado deverá ser exercida, através do pagamento da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana – GRCSU até o dia 31 de janeiro de 2018. Recolhimentos após a esta data seguem o disposto no art. 600 da CLT. As pessoas jurídicas representadas pelo sindicato deverão calcular sua contribuição de acordo com a tabela abaixo. Os condomínios Edilícios, segmento sem personalidade jurídica e sem capital social, também representados pelo Sindicato, recolherão a contribuição mínima da Tabela, correspondente a R$ 215,03.

TABELA PARA CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL
VIGENTE A PARTIR DE 01 DE JANEIRO DE 2018
LINHA CLASSE DE CAPITAL SOCIAL ALÍQUOTA PARCELA A ADICIONAR
01 de 0,01 a 26.879,25 Contr. Mínima 215,03
02 de 26.879,26 a 53.758,50 0,8% -
03 53.758,51 a 537.585,00 0,2% 322,25
04 de 537.585,01 a 53.758.500,00 0,1% 860,14
05 de 53.758.500,01 a 286.712.000,00 0,02% 43.866,94
06 de 286.712.000,01 em diante Contr. Máxima 101.209,34

TROCA que pode ser VANTAJOSA

@Folha de Pernambuco – Imóveis - 27/09/2013


O pagamento da prestação de um imóvel próprio pode ser mais vantajoso do que os preços de muitos aluguéis. Quem despertou para isso e está próxima a deixar de pagar aluguel é a gerente comercial Alessandra Spencer. Atualmente, ela desembolsa R$ 2 mil por mês em um apartamento de dois quartos alugado. Mas Alessandra já comprou um apartamento de três quartos e vai começar a pagar aproximadamente R$ 1,7 mil mensais . “Vou ficar um tempo no sufoco porque estou pagando o aluguel e as despesas com o apartamento próprio, mas quando ficar pronto vou até economizar e estarei no que é meu. Acho que não fiz isso antes porque não tinha o dinheiro da entrada e, por mais que seja facilitada, pesa um pouco no bolso”, comenta. O diretor de uma escola particular, Fadraque Santos, saiu de São Paulo para o Recife e mora em um apartamento alugado. Ele paga R$ 2,2 mil por mês pela locação.
O prédio em que o diretor mora fica localizado no bairro do Espinheiro, na Zona Norte da Cidade. “Sei que seria mais vantagem comprar um apartamento do que pagar esse preço. Minha questão é profissional e pode ser que eu mude em pouco tempo e ficaria difícil administrar um imóvel próprio de longe”, ressalta Fradaque. Opções de valores de parcelas compatíveis não faltam. No bairro do Torreão, vizinho ao que o diretor reside, há o Edifício Duetto, com apartamentos de dois quartos sendo vendidos a preço inicial de R$ 360 mil. A prestação do financiamento fica em torno de R$ 2,5 mil por mês, apenas R$ 300 a mais do que a prestação que ele desembolsa mensalmente. Outros imóveis que estão para vender podem oferecer vantagens ao consumidor e trazer benefício financeiro para quem optar por comprar. No bairro do Janga, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR), o Residencial Vila do Mar é ofertado ao custo de R$ 98,5 mil e terá prestações decrescentes a partir de R$ 400. Cada apartamento terá dois quartos e o interessado terá que quitar 35% do imóvel até a entrega das chaves em dois anos. Já no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes, também no Grande Recife, o Parque Candeias, com dois quartos, custa R$ 146 mil e a prestação fica em torno de R$ 700. O sinal é de R$ 5,8 mil. “O mercado está aquecido e as parcelas estão muito acessíveis. Muita gente está migrando para o apartamento próprio para se livrar do aluguel”, revela a corretora de imóveis Mirele de Sousa Santos. Com esse aquecimento do mercado imobiliário, as pessoas estão cada vez mais conseguindo realizar o sonho de ter uma residência própria. “Hoje em dia é bem melhor pagar uma prestação de um apartamento próprio do que pagar aluguel”, confirma o também corretor de imóveis, Roberto Garcia.
Saiba mais - PLANEJAMENTO - Umas das maiores dificuldades que as pessoas encontram para comprar o próprio imóvel é conseguir manter o aluguel enquanto paga as despesas com o prédio que está sendo construindo. Fazendo um esforço, planejando o orçamento ou até aquelas pessoas que “metem a cara” e entram em um negócio, o importante mesmo é a satisfação de tentar conseguir se livrar do aluguel.