Notícias

Tabela de Contribuição Sindical 2018

@Secovi-PE - 18/01/2018


O Sindicato das Empresas de Compra e Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de Pernambuco - SECOVI –PE, sediado na Rua Ernesto de Paula Santos,960 lj, 03 Boa Viagem , inscrito no CNPJ sob o nº 24.566.663/0001-36, devidamente registrado no Ministério do Trabalho e Emprego, Código Sindical nº 000.002.000.89616-7 com base territorial no estado de Pernambuco, por seu representante legal, com fundamento nos artigos 8º e 149º da Constituição Federal; artigo 217, inciso I da Lei 5.172/1966 – Código Tributário Nacional; e, em atendimento ao disposto nos artigos 580, 587 e 605 do Decreto Lei nº 5.452/1943 – Consolidação das Leis do Trabalho, NOTIFICA em pública forma os representantes legais dos condomínios residenciais, comerciais e mistos , dos flats e shopping centers, das empresas de compra, venda, locação e administração de imóveis próprios ou de terceiros e de condomínios, das incorporadoras de imóveis e das loteadoras, na sua base de representação sindical, que a partir das alterações introduzidas pela Lei nº 13.467/2017 o pagamento da Contribuição Sindical passou a ser facultativo; entretanto, permanece sendo a principal fonte de custeio para o exercício das prerrogativas da entidade sindical – representação e defesa dos interesses coletivos da categoria.
A opção do representado deverá ser exercida, através do pagamento da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana – GRCSU até o dia 31 de janeiro de 2018. Recolhimentos após a esta data seguem o disposto no art. 600 da CLT. As pessoas jurídicas representadas pelo sindicato deverão calcular sua contribuição de acordo com a tabela abaixo. Os condomínios Edilícios, segmento sem personalidade jurídica e sem capital social, também representados pelo Sindicato, recolherão a contribuição mínima da Tabela, correspondente a R$ 215,03.

TABELA PARA CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL
VIGENTE A PARTIR DE 01 DE JANEIRO DE 2018
LINHA CLASSE DE CAPITAL SOCIAL ALÍQUOTA PARCELA A ADICIONAR
01 de 0,01 a 26.879,25 Contr. Mínima 215,03
02 de 26.879,26 a 53.758,50 0,8% -
03 53.758,51 a 537.585,00 0,2% 322,25
04 de 537.585,01 a 53.758.500,00 0,1% 860,14
05 de 53.758.500,01 a 286.712.000,00 0,02% 43.866,94
06 de 286.712.000,01 em diante Contr. Máxima 101.209,34

ITENS pesam na escolha do imóvel-PADRÃO

@Folha de Pernambuco – Imóveis - 27/09/2013


A busca por um imóvel que atenda às necessidades do consumidor pode ser tarefa árdua, obrigando o comprador a fazer reformas mesmo após a compra do imóvel. Atualmente, as construtoras estão apostando emvários estilos de plantas em um mesmo empreendimento para facilitar a vida do cliente e transformar em atrativo para compra. Mas será que realmente essas intervenções e tipos de planta funcionam? Para aqueles futuros moradores que ainda não dispõem deste recurso no imóvel que vão adquirir ou desejam encontrar o lar perfeito para si rapidamente, durante a procura pelo apartamento precisam ficar atentos a algumas questões. Desta forma, será possível aliar comodidade, conforto e acessibilidade dentro de casa, tornando o imóvel ainda mais aconchegante. A estudante de Administração Camylla Neto, que adquiriu um imóvel na planta e buscou opções que estivessemde acordo com as necessidades atuais, mas também fazendo projetos para o futuro. “O apartamento tem 49 metros quadrados e dois quartos, nem é grande demais a ponto de eu não dar conta sozinha, nem é pequeno demais, de uma forma que não me permita constituir uma família futuramente”, explica. Camylla ainda fala dosmotivos que a levaram a optar pelo imóvel. “O apartamento temumbomespaço, acessibilidade de preço e boa localização. Me mudei há pouco tempo e está atendendo todas as minhas necessidades”, conclui a estudante. O conceito de imóvel perfeito pode ser relativo dependendo do tipo de público que o procura. Segundo a arquiteta do escritório Leite&BemArquitetura, Cinthia Bem, há algumas diferenças entre os recursos necessários em apartamentos, baseado no número de moradores e tipos de família. “UmFlat se encaixamelhor para pessoas solteiras ou casais sem filhos. Desta forma, é possível aliar comodidade com praticidade. Para agregar todas as necessidades do morador, esse tipo de imóvel deve ter no mínimo 31 metros quadrados”, explica. Porém, é preciso cuidado na hora de escolher imóveis nessas condições. “Um flat muito pequeno pode prejudicar a privacidade e transitoriedade do morador dentro do imóvel. É preciso que os móveis sejam compactos e haver uma certa divisão pelo menos na área do banheiro”, explica a arquiteta. Para as famílias com um ou dois filhos, a disposição dos cômodos deve ser diferente, uma vez que o número de moradores será maior e as necessidades básicas precisam ser atendidas. “No caso de famílias, o apartamento precisa ter pelo menos 44 metros quadrados, dois quartos, um com espaço para pelomenos, duas camas e armário. Embora conjugada a uma sala de estar, a presença de uma sala de jantar com pelo menos seis cadeiras também é importante”, aconselha. A arquiteta também ressaltou a importância de uma suíte e, pelo menos, um banheiro social.