Notícias

Trabalhar em Home-office sem mistérios e com produtividade

@Assessoria de Comunicação Secovi-PE - 27/03/2020


Segundo dados do Centro de Estudos e Pesquisa de Teletrabalho e Alternativas de Trabalho Flexível, o Cetel, em 2016, 10 milhões de pessoas trabalhavam em casa no Brasil, dentro do regime de home office. Também chamado de teletrabalho, o home office surgiu nos Estados Unidos em resposta à disponibilização de novas tecnologias como a internet e a popularização do celular, possibilitando que as pessoas pudessem trabalhar remotamente.

Quatro anos depois, com os smartphones e notebooks com configurações potentes e uma internet muito mais rápida, é certo que esse número cresceu. Agora, com a pandemia causada pelo novo coronavirus, esse contingente foi ampliado. Pensando nos profissionais que não tinham o costume de trabalhar em casa, e que agora se veem às voltas com noteebook, filhos, animais domésticos e outras tentações de quando se está em casa, preparamos dicas rápidas para trabalhar de forma eficiente.

1 - Determine um local de trabalho e avise aos demais familiares que quando estiver nele, não deve ser interrompido. Trate seu home office como um escritório de verdade.

2 – Tenha tudo em mãos – carregadores, celular, notebook, bloco de anotação e caneta, a fim de evitar paradas desnecessárias. Uma garrafa de água e uma cafeteira abastecida também cai bem.

3 - Estabeleça uma jornada de trabalho e prepare uma agenda de tarefas, se puder, cronometrada. Vai ver que com dead lines será muito mais produtivo.

4 – Antes de iniciar seu horário de trabalho, procure deixar as questões domésticas já resolvidas ou encaminhadas, a fim de evitar interrupções. Misturar as duas coisas – trabalho e afazeres domésticos só vai atrapalhar o seu foco.

5 – Sim, aplicativos de comunicação como whatsapp são importantes para se manter conectados com a equipe ou com seus clientes. Para se tornar mais eficiente, que tal silenciar os grupos pessoais durante seu horário de trabalho?

6 – Ergonomia é importante, pesquise sobre isso e evite danos ao corpo. Você vai precisar dele para manter o trabalho em dia.

7 – Inclua na sua programação pausas para se alongar ou descansar a cabeça. Muitas vezes é durante este distanciamento do computador que a solução para aquele problema chega na sua mente. Além disso, não há como trabalhar saudavelmente por oito ou dez horas a fio.

8 – Lembre-se que no caso de dúvidas, seu chefe ou colega pode não estar ao seu lado, mas está próximo virtualmente para lhe orientar. Use o celular, o whatsapp, facetime...

9 – Você conhece o modelo dos 3 C’s – Clareza, Comunicação e Conexão. A partir dele, devem ser estabelecidos alguns critérios como prioridades, metas e expectativas alinhadas entre as equipes.

10 – Cuide da energia! O notebook, celular e eletrônicos, em geral, serão certamente alguns dos aparelhos mais utilizados durante o home office e, consequentemente, plugados na tomada para carregar. Certifique-se de retirar os carregadores da tomada quando os equipamentos já estiverem carregados. Mesmo sem o aparelho estar conectado, o carregador consome energia se estiver na tomada.


Conselho suspende as parcelas de financiamento

Medida foi aprovada por 120 dias e vale para famílias com renda mensal de até R$ 4 mil e para algumas modalidades de financiamento com recursos do FGTS

@Fonte: Diário de Pernambuco - Economia - 09/09/2020


O Conselho Curador do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) aprovou ontem a suspensão, por 120 dias, de parcelas de financiamento habitacional para a população de baixa renda por causa da pandemia da Covid-19. É esperado que, com isso, o fundo deixe de arrecadar R$ 3 bilhões no período, contado a partir das parcelas que vencem em setembro. No entanto, o governo diz que não haverá prejuízo ao FGTS, pois o valor será pago posteriormente e com correção monetária.

A suspensão temporária vale para famílias com renda mensal de até R$ 4 mil (faixas 1,5 e 2 de contratos habitacional) e para algumas modalidades de financiamento com recursos do fundo, como a carta de crédito individual –financiamento feito diretamente com a pessoa física e destinado à construção, reforma ou melhoria na moradia própria (residencial).

Também será aplicada à carta de crédito associativo, linha de crédito para financiamento de empreendimentos habitacionais com recursos do FGTS e formalizada com uma empresa do ramo de construção civil, geralmente cooperativas, associações, sindicatos, etc.

Outra linha é a de Apoio à Produção, voltada para construtoras de todos os portes. Neste caso, os recursos do financiamento feito para as pessoas físicas são liberados diretamente à construtora, conforme cronograma de execução da obra.

A pausa nas cobranças, porém, não inclui, por exemplo, o programa Pró-Moradia, que atende famílias em situação de risco social, mas é assinado com estados e municípios.

No caso da parcela mais vulnerável atendida pelo Minha Casa Minha Vida, a Câmara chegou a aprovar um projeto que suspende, por seis meses, o pagamento das prestações do faixa 1 em decorrência da crise sanitária gerada pelo novo coronavírus. Mas isso ainda não foi aprovado no Senado.

Durante a reunião virtual do Conselho do FGTS, também foi aprovada uma mudança nas regras do fundo para reduzir os juros cobrados em financiamento habitacional do novo programa lançado pelo governo: Casa Verde e Amarela. A proposta do Ministério do Desenvolvimento Regional é substituir o Minha Casa Minha Vida, mas o projeto ainda depende do aval final do Congresso. O Conselho reduziu de 0,25 ponto percentual a até 0,5 ponto percentual os juros famílias com renda bruta de até R$ 2,6 mil por mês no Norte e no Nordeste. Para as demais regiões, o corte é mais limitado: 0,5 ponto percentual para renda de até R$ 2 mil.