Notícias

Prêmio Master Imobiliário 2017

Inscrições para o Prêmio Master Imobiliário 2017 estão abertas e podem ser feitas até 24/3

@FIABC-BRASIL - 08/02/2017


Estão abertas até o próximo dia 24 de março as inscrições para o Prêmio Master Imobiliário 2017, uma iniciativa da FIABCI-BRASIL e do Secovi-SP. Conhecido como "Oscar" do setor, a premiação é uma das melhores formas de mostrar à sociedade a importância do segmento, pois ele destaca e premia os profissionais e os cases de sucesso, distinguindo aqueles que estão sempre entre os mais criativos, de maior alcance social e que mais engrandecem a indústria imobiliária e o País.

Trabalhos de potencial e de excelência de empresas de todas as regiões do Brasil podem ser inscritos nas duas categorias da premiação:

Empreendimento – destinada aos trabalhos dos segmentos residenciais, comerciais, industriais, de lazer e outros, totalmente concluídos e entregues por empresas brasileiras no Brasil ou no exterior;

Profissional – para os trabalhos ou projetos vinculados com a indústria imobiliária nas áreas de marketing, administração, comercialização, inovações tecnológicas, urbanismo, soluções arquitetônicas, de meio ambiente, entre outras iniciativas de qualquer natureza ligadas à área imobiliária.

Mais! Os ganhadores na categoria "Empreendimento" podem depois concorrer ao "Prix d’Excellence", uma das maiores premiações internacionais do setor, entregue anualmente sempre em cerimônia realizada durante o Congresso Mundial da FIABCI.

Regulamento e Inscrições - No site oficial do Prêmio (www.premiomasterimobiliario.com.br) estão disponíveis o regulamento e o formulário de inscrição, que deve ser preenchido e encaminhado conforme as orientações. Se preferir, o interessado pode entrar em contato com os organizadores pelo telefone (11) 5078-7778 ou telefax (11) 5078-6748.

Novidades Digitais - Este ano, o Master Imobiliário tem duas novidades que agilizam o processo de inscrição e de entrega dos cases. As inscrições também podem ser feitas on-line, pelo site do Prêmio, até 24/3. E a entrega dos trabalhos, da mesma forma, pode ser feita on-line até 20/4.

A cerimônia de entrega do Prêmio Master Imobiliário 2017 será realizada no Clube Atlético Monte Líbano, em São Paulo, na noite de 30 de agosto. Esta 23ª edição do Master Imobiliário tem patrocínio de Atlas Schindler, Bradesco, Comgás, Estadão, Gerdau e Grupo Bandeirantes.

STJ determina penhor de salário para quitar dívida de aluguel

Se não houver recurso, decisão pode servir de base para outros casos de dívida de locatários

@Jornal do Commercio - 22/09/2017


Uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) pode servir de base para diversas ações que tratam de dívidas de locação de imóveis. A determinação estabeleceu que o valor de aluguéis atrasados reclamados em uma ação fosse descontado diretamente do salário do devedor, respeitando um percentual máximo de 10%. Caso não haja recurso, o texto pode criar precedente para mais uma forma de cobrança de dívidas referentes a aluguel, que entra na lista das contas em atraso por parte de 59,4 milhões de brasileiros, segundo dados do SPC Brasil referentes a agosto.
O processo que culminou na decisão se arrastava há dez anos e chegou a ser questionado, já que, normalmente, o penhor incide sobre os bens do devedor, não sobre seu salário. Isso acontece porque a remuneração é considerada meio de subsistência e seu bloqueio pode comprometê-la. Esse entendimento, no entanto, foi rebatido. “A regra da impenhorabilidade pode ser relativizada quando a hipótese concreta dos autos permitir que se bloqueie parte da verba remuneratória, preservando-se o suficiente para garantir a subsistência digna do devedor e de sua família”, afirmou a ministra do STJ Nancy Andrighi ao negar o recurso.
Para os especialistas, a decisão reforça a tendência do novoCódigo de Processo Civil, que dá mais garantias aos credores. “O natural é que as obrigações e contratos sejam cumpridos, não é normal ser complacente com a inadimplência. O normal é uma sociedade na qual todos cumprem o seu dever”, opina Renato Pinheiro Filho, sócio da Pinheiro, Gondim e Sarubbi Advogados.
Já o advogado Marcus Lins, do escritório homônimo, destaca que o mais comum é a busca pelos bens dos devedores e que penhorar salário não deve se tornar a primeira alternativa da Justiça. “O salário normalmente era preservado, já que é preciso pensar na subsistência do devedor. Por isso, para se chegar a essa decisão, tudo isso foi levado em consideração”.
Segundo o Secovi-PE, as dívidas de locação e de taxa condominial têm crescido tanto que a principal consequência é a queda dos preços. “É uma questão matemática. É preciso levar em conta se vale mais baixar o preço cobrado e negociar ou deixar o imóvel desocupado por tempo indeterminado até que se encontre outro locatário”, pondera o assessor jurídico da entidade, Noberto Lopes.
De acordo com o SPC Brasil, a crise ainda é determinante sobre a inadimplência: 26% dos devedores se justificam pela falta de emprego e outros 14% pela queda na renda.