Notícias

Tabela de Contribuição Sindical 2018

@Secovi-PE - 18/01/2018


O Sindicato das Empresas de Compra e Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de Pernambuco - SECOVI –PE, sediado na Rua Ernesto de Paula Santos,960 lj, 03 Boa Viagem , inscrito no CNPJ sob o nº 24.566.663/0001-36, devidamente registrado no Ministério do Trabalho e Emprego, Código Sindical nº 000.002.000.89616-7 com base territorial no estado de Pernambuco, por seu representante legal, com fundamento nos artigos 8º e 149º da Constituição Federal; artigo 217, inciso I da Lei 5.172/1966 – Código Tributário Nacional; e, em atendimento ao disposto nos artigos 580, 587 e 605 do Decreto Lei nº 5.452/1943 – Consolidação das Leis do Trabalho, NOTIFICA em pública forma os representantes legais dos condomínios residenciais, comerciais e mistos , dos flats e shopping centers, das empresas de compra, venda, locação e administração de imóveis próprios ou de terceiros e de condomínios, das incorporadoras de imóveis e das loteadoras, na sua base de representação sindical, que a partir das alterações introduzidas pela Lei nº 13.467/2017 o pagamento da Contribuição Sindical passou a ser facultativo; entretanto, permanece sendo a principal fonte de custeio para o exercício das prerrogativas da entidade sindical – representação e defesa dos interesses coletivos da categoria.
A opção do representado deverá ser exercida, através do pagamento da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana – GRCSU até o dia 31 de janeiro de 2018. Recolhimentos após a esta data seguem o disposto no art. 600 da CLT. As pessoas jurídicas representadas pelo sindicato deverão calcular sua contribuição de acordo com a tabela abaixo. Os condomínios Edilícios, segmento sem personalidade jurídica e sem capital social, também representados pelo Sindicato, recolherão a contribuição mínima da Tabela, correspondente a R$ 215,03.

TABELA PARA CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL
VIGENTE A PARTIR DE 01 DE JANEIRO DE 2018
LINHA CLASSE DE CAPITAL SOCIAL ALÍQUOTA PARCELA A ADICIONAR
01 de 0,01 a 26.879,25 Contr. Mínima 215,03
02 de 26.879,26 a 53.758,50 0,8% -
03 53.758,51 a 537.585,00 0,2% 322,25
04 de 537.585,01 a 53.758.500,00 0,1% 860,14
05 de 53.758.500,01 a 286.712.000,00 0,02% 43.866,94
06 de 286.712.000,01 em diante Contr. Máxima 101.209,34

Arboviroses crescem em cidades do Sertão

Aumento dos focos do Aedes aegypti a céu aberto preocupa

@Fonte: Diario de Pernambuco - 13/02/2019


A Secretaria Estadual de Saúde (SES) acendeu a luz vermelha para intensificar o combate ao mosquito Aedes aegypti no Sertão do estado. Os técnicos do Programa de Controle das Arboviroses identificaram um aumento no número das notificações em três das 12 regionais de saúde, todas no Sertão: Salgueiro, Afogados da Ingazeira e Arcoverde. Os dados coletados pela 7ª Gerência Regional de Saúde (Geres), sediada em Salgueiro, que reúne mais sete municípios, teve o maior aumento dos casos.

Os dados apontam acréscimo 1.871% dos casos suspeitos de dengue em relação ao mesmo período do ano passado. O levantamento é relativo ao dia 2 de fevereiro deste ano. na mesma data em 2018, foram notificados sete casos de dengue. Neste ano já são 138. Houve ainda o registro de 14 casos de chikungunya contra três em 2018, e dois casos de zika, contra um no ano passado.

Também chama atenção as notificações na 10ª Geres, com sede em Afogados da Ingazeira. Em 2018, foram 8 casos suspeitos, enquanto em 2019 já são 26, um aumento de 225%. Em relação à análise da presença de larvas nos imóveis, os municípios de Cedro, Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba e Tabira estão em risco de surto, ou seja, com alta probabilidade de adoecimento da população.

Até 2 de fevereiro foram notificados 855 casos de dengue em Pernambuco, uma redução de 39,1% em relação ao mesmo período de 2018. De chikungunya foram 129 notificações (- 56,7%) e 45 de zika (- 25%). “No estado como um todo o número diminuiu, mas em algumas Geres do Sertão houve um aumento nas notificações e estamos intensificando o combate do mosquito nessas regiões”, apontou Claudenice Pontes, gerente do Programa de Controle das Arboviroses.