Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site.
Ao utilizar nosso site e suas ferramentas, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

SECOVI-PE - Política de Privacidade

Esta política estabelece como ocorre o tratamento dos dados pessoais dos visitantes dos sites dos projetos gerenciados pela SECOVI-PE.

As informações coletadas de usuários ao preencher formulários inclusos neste site serão utilizadas apenas para fins de comunicação de nossas ações.

O presente site utiliza a tecnologia de cookies, através dos quais não é possível identificar diretamente o usuário. Entretanto, a partir deles é possível saber informações mais generalizadas, como geolocalização, navegador utilizado e se o acesso é por desktop ou mobile, além de identificar outras informações sobre hábitos de navegação.

O usuário tem direito a obter, em relação aos dados tratados pelo nosso site, a qualquer momento, a confirmação do armazenamento desses dados.

O consentimento do usuário titular dos dados será fornecido através do próprio site e seus formulários preenchidos.

De acordo com os termos estabelecidos nesta política, a SECOVI-PE não divulgará dados pessoais.

Com o objetivo de garantir maior proteção das informações pessoais que estão no banco de dados, a SECOVI-PE implementa medidas contra ameaças físicas e técnicas, a fim de proteger todas as informações pessoais para evitar uso e divulgação não autorizados.

fechar

Notícias

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL ORDINARIA

@presidencia - 12/10/2021


O Presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis, e dos
Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de Pernambuco – SECOVI-PE, no uso das
atribuições que lhe confere o estatuto social, convoca os associados para assembleia geral ordinária a ser
realizada no dia 25 (vinte e cinco) de novembro de 2021, conforme edital anexado.

Recifense paga mais IPTU do que moradores de Fortaleza e Salvador, considerando o número de habitantes

No Recife, cada pessoa paga cerca de R$ 30 a mais do que os moradores de Salvador e R$ 100 a mais do que os habitantes de Fortaleza.

@Fonte: Portal JC Online - Política - 18/01/2022


Matemática é bom pra disfarçar, mas também serve para deixar transparente. Depende do uso que se faz dela.

No fim do ano passado, quando cobrado sobre a queda no PIB do Recife, o prefeito da cidade, João Campos (PSB), criticou quem comparava a riqueza de Fortaleza e Salvador com a capital pernambucana, já que a população do Recife é a menor entre esses três municípios. Para Campos, era preciso olhar o PIB per Capita, proporcional à população, para poder comparar.

Tangenciar é uma forma de fazer política. O pai dele, o ex-governador Eduardo Campos (PSB), costumava criticar os números da violência antes do Pacto pela Vida. Dizia que "não se importava com números, mas com o bem estar das pessoas". Até que o Pacto pela Vida começou a dar resultados positivos. Daí em diante, sempre que alguém perguntava sobre algum episódio específico de violência no estado, ele respondia: "Se você olhar os números, vai ver que estamos no caminho certo".

Mas, esse texto não era pra falar do PIB, nem de Eduardo Campos. É sobre o IPTU.

É que foi comentado há alguns dias, com certo orgulho, por um integrante da prefeitura do Recife, que a cidade tinha arrecadação menor do que Fortaleza e Salvador. Algo do tipo, "veja lá os números, Salvador e Fortaleza que vocês gostam de comparar com a gente, cobram muito mais imposto".

É verdade. Ou, talvez, seja apenas um pedaço dela.

Os números

Salvador arrecadou R$ 800 milhões e Fortaleza tirou R$ 554 milhões dos contribuintes em 2021, no Nordeste. Já a capital de Pernambuco, tirou do contribuinte, no ano passado, o valor de R$ 504 milhões.

Mas, usando a sugestão do prefeito João Campos, engenheiro e bom de contas, vale dar uma olhada na distribuição disso, de acordo com a população.

Sendo assim, é o Recife que cobra mais imposto da população entre essas três capitais. Dividido pelo número de habitantes, cada recifense pagou em 2021 o equivalente a R$ 303,26.

Em Salvador, com população bem maior, o total, dividido, ficou em R$ 276,00 por habitante.

Já em Fortaleza, apesar da arrecadação também maior do que Recife, o valor per capita dá R$ 204,94.

Cada morador do Recife paga, no rateio, R$ 100 a mais do que os moradores da capital cearense e quase R$ 30 a mais que os baianos.

E vai ter aumento

Em 2022, Recife decidiu reajustar em mais de 10% o imposto. Salvador seguiu o aumento. Já Fortaleza, aplicou apenas a inflação do último trimestre de 2021, o reajuste será de pouco mais de 3%.

Os cearenses vão continuar pagando menos imposto.

E, quem conhece essas outras duas capitais nordestinas sabe que eles também seguirão tendo serviços melhores.