Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site.
Ao utilizar nosso site e suas ferramentas, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

SECOVI-PE - Política de Privacidade

Esta política estabelece como ocorre o tratamento dos dados pessoais dos visitantes dos sites dos projetos gerenciados pela SECOVI-PE.

As informações coletadas de usuários ao preencher formulários inclusos neste site serão utilizadas apenas para fins de comunicação de nossas ações.

O presente site utiliza a tecnologia de cookies, através dos quais não é possível identificar diretamente o usuário. Entretanto, a partir deles é possível saber informações mais generalizadas, como geolocalização, navegador utilizado e se o acesso é por desktop ou mobile, além de identificar outras informações sobre hábitos de navegação.

O usuário tem direito a obter, em relação aos dados tratados pelo nosso site, a qualquer momento, a confirmação do armazenamento desses dados.

O consentimento do usuário titular dos dados será fornecido através do próprio site e seus formulários preenchidos.

De acordo com os termos estabelecidos nesta política, a SECOVI-PE não divulgará dados pessoais.

Com o objetivo de garantir maior proteção das informações pessoais que estão no banco de dados, a SECOVI-PE implementa medidas contra ameaças físicas e técnicas, a fim de proteger todas as informações pessoais para evitar uso e divulgação não autorizados.

fechar

Notícias

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL ORDINARIA

@presidencia - 12/10/2021


O Presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis, e dos
Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de Pernambuco – SECOVI-PE, no uso das
atribuições que lhe confere o estatuto social, convoca os associados para assembleia geral ordinária a ser
realizada no dia 25 (vinte e cinco) de novembro de 2021, conforme edital anexado.

Inflação da RMR supera a média do país

IPCA local foi de 1,12% em abril, mesmo com a redução de -5,94% na conta de luz. Taxa nacional ficou em 1,06%, maior para abril em 26 anos

@Fonte: Diário de Pernambuco - Economia - 12/05/2022


A taxa inflacionária da Região Metropolitana do Recife (RMR) superou a média brasileira em abril. Enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do país fechou o mês em 1,06%, o local registrou 1,12%, sendo o sétimo maior entre as dez regiões metropolitanas e as sete capitais, incluindo o Distrito Federal, pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A média do país foi a maior para um mês de abril desde 1996 (1,26%).

O IPCA local não foi maior por conta da queda nas contas de energia elétrica. Na RMR, segundo o IBGE, houve uma redução de -5,94%, quando calculada a diferença entre o fim da Bandeira de Escassez Hídrica, em 16 de abril, e o aumento médio da tarifa, a partir de 29 de abril, de 18,98%. Em vigor desde setembro do ano passado, a bandeira acrescentava R$ 14,20 a cada 100kWh consumido.

Quando comparada a março deste ano, a inflação oficial de abril indica uma desaceleração na RMR. A taxa de março ficou em 1,52%, que, ao contrário de abril, foi menor do que a média nacional da época, de 1,62%.

A inflação acumulada dos últimos 12 meses pesou mais na RMR do que a média do país, embora ambos tenham ultrapassado a casa dos dois dígitos. O IPCA regional ficou em 12,24% no período, enquanto o brasileira, 12,13%. Entre os locais incluídos no levantamento do IBGE, apenas a Região Metropolitana de Belém (PA) teve uma inflação inferior a dois dígitos, de 9,65%.

Os preços também castigaram o bolso dos consumidores da RMR no acumulado de 2022. De janeiro a abril, a inflação foi de 4,09%, um índice alto, contudo menor do que os calculados nas regiões metropolitanas de Curitiba (PR) e do Rio de Janeiro (RJ), com 5,09% e 5,08%, respectivamente. Estas, as maiores do país. O IPCA local é a terceira mais baixa, atrás de Vitória (ES), de 3,81%, e Salvador (BA), 3,95%.

De acordo com o IBGE, oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta em abril do ponto de vista nacional. As maiores variações foram em Alimentação e bebidas (2,06%) e Transportes (1,91%). Estes dois grupos contribuíram com cerca de 80% do IPCA de abril.

O único grupo em queda no país foi Habitação (-1,14%), onde está incluída a energia elétrica. Além do Recife, o levantamento apontou variações negativas na conta de luz em outras quatro localidades do país. A redução foi de -2,33% em Campo Grande (MS) e de -3,41% em Salvador (BA). Fortaleza (CE) anotou -3,45% no mesmo período, enquanto Aracaju (SE), -6,18%.