Notícias

Edital

Contribuição Sindical

@Secovi-PE - 29/01/2019


O Sindicato das Empresas de Compra e Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de Pernambuco - SECOVI –PE, sediado na Rua Ernesto de Paula Santos,960 lj, 03 Boa Viagem , inscrito no CNPJ sob o nº 24.566.663/0001-36, devidamente registrado no Ministério do Trabalho e Emprego, Código Sindical nº 000.002.000.89616-7 com base territorial no estado de Pernambuco, com exceção da cidade do Cabo de Santo Agostinho, por seu representante legal, com fundamento nos artigos 8º e 149º da Constituição Federal; artigo 217, inciso I da Lei 5.172/1966 – Código Tributário Nacional; e, em atendimento ao disposto nos artigos 580, 587 e 605 do Decreto Lei nº 5.452/1943 – Consolidação das Leis do Trabalho, NOTIFICA em pública forma os representantes legais dos condomínios residenciais, comerciais e mistos , dos flats e shopping centers, das empresas de compra, venda, locação e administração de imóveis próprios ou de terceiros e de condomínios, das incorporadoras de imóveis e das loteadoras, na sua base de representação sindical, que a partir das alterações introduzidas pela Lei nº 13.467/2017 o pagamento da Contribuição Sindical passou a ser facultativo; entretanto, permanece sendo a principal fonte de custeio para o exercício das prerrogativas da entidade sindical – representação e defesa dos interesses coletivos da categoria. A opção do representado deverá ser exercida, através do pagamento da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana – GRCSU até o dia 20 de fevereiro de 2019. Recolhimentos após a esta data seguem o disposto no art. 600 da CLT. As pessoas jurídicas representadas pelo sindicato deverão calcular sua contribuição de acordo com a tabela abaixo. Os condomínios Edilícios, segmento sem personalidade jurídica e sem capital social, também representados pelo Sindicato, recolherão a contribuição mínima da Tabela, correspondente a R$ 234,15. Recife, 29 de janeiro de 2019. Márcio Luís de Oliveira Gomes e Silva – Presidente.
TABELA PARA CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL
VIGENTE A PARTIR DE 01 DE JANEIRO DE 2018
LINHA CLASSE DE CAPITAL SOCIAL (em R$) ALÍQUOTA % PARCELA A ADICIONAR (R$)
01 de 0,01 a 29.268,75 Contr. Mínima 234,15
02 de 29.268,76 a 58.537,50 0,8% -
03 de 58.537,51 a 585.375,00 0,20% 351,22
04 de 585.375,01 a 58.537.500,00 0,10% 936,60
05 de 58.537.500,01 a 312.200.000,00 0,02% 47.766,60
06 de 312.200.000,01 em diante Contr. Máxima 110.206,60

Feirão de Imóveis em Petrolina tem opções a partir de R$29 mil

A Feira de Imóveis será realizada entre a sexta-feira (27) e o domingo (29), no Centro de Convenções.

@Fonte: Portal G1 - Petrolina - 26/09/2019


Cinco anos após a implantação dos dois corredores do Sistema Via Livre do BRT, o Norte/Sul e o Leste/Oeste, o modelo das estações com vidros espelhados vai sofrer alterações. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) estuda mudanças nos projetos para as nove futuras estações que ainda faltam ser construídas. A principal razão é o vandalismo. Dados levantados pelo Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano apontam que de janeiro a agosto deste ano já foram substituídas 250 placas de vidro das estações vandalizadas.

Outra mudança prevista é na cobertura das estações, que são frequentemente atingidas por veículos com altura superior ao teto e que usam a faixa exclusiva do BRT. Uma das alternativas é reduzir o tamanho da cobertura, como já foi feito na estação próxima à Prefeitura do Recife. Na mesma via, a Cais do Apolo, a Estação Istmo, que está sendo recuperada, também terá a cobertura encolhida para evitar ser atingida pelos veículos altos. “Além da mudança no projeto para as futuras estações, à medida em que fizermos a recuperação das coberturas faremos a adequação no tamanho para evitar mais danos”, revelou o secretário da pasta, Marcelo Bruto.

Os projetistas também estudam mudanças no piso das estações. O material usado na superfície é de alumínio. Do início do ano até o mês de agosto, houve a reposição de 150 placas de alumínio que foram furtadas nesse período. De acordo com Marcelo Bruto, as peças são removidas com ajuda de uma chave de fenda em horários em que não há movimentação nas estações. “A placa de alumínio pode ser vendida, cada uma, por cerca de R$ 50. Os projetistas estão estudando o que pode ser melhorado nas estações futuras, pois já sabemos o que não funcionou bem no modelo atual, e serão feitas as adequações necessárias”, explicou o secretário.

As estações trouxeram conforto com os ambientes climatizados, mas não demorou para se perceber que manter tudo em perfeito funcionamento não sairia barato. A manutenção de cada pontos sai por R$ 15 mil mensais. A reposição dos vidros é a parte mais cara. “Do ponto de vista da arquitetura, as estações em vidro são muito bonitas, mas falando como engenheiro eu diria que a solução exige uma manutenção mais cara”, revelou Paulo Beltrão, coordenador de engenharia e manutenção do Grande Recife Consórcio. Desde o início do ano foram feitos oito consertos de cortinas de ar, reposição de 40 extintores e recuperação de 18 monitores. Também foram trocadas 100 defensas - as barras de proteção que ficam na entrada das estações.

O Via Livre Norte/Sul permite a ligação dos municípios de Igarassu, Cruz de Rebouças, Abreu e Lima, Paulista e Olinda ao Centro do Recife. Atualmente com oito linhas e 26 estações, o corredor atende 66 mil usuários nos dias úteis. A expectativa é que opere com 28 estações.

Já o Via Livre Leste/Oeste possibilita que passageiros de Camaragibe se desloquem ao Centro do Recife por cinco linhas em operação. Este corredor conta atualmente com 16 estações em funcionamento e atende 63 mil usuários nos dias úteis. A expectativa é que opere com 23 pontos.

Após dois dias desativada por vandalismo e furtos, a Estação Riachuelo, no Recife, voltou a operar ontem à noite. Também ontem, a Prefeitura de Camaragibe anunciou que será instalada uma parada na Avenida Belminio Correia, Centro.