Notícias

Estão abertas as inscrições para o curso Prática em Departamento Pessoal

Inscrições / Informações: unisecovipe@secovi-pe.com.br

@UNISECOVIPE - 20/09/2016


Dias - 24, 26 e 28 de outubro
Horário - 14h às 18h
Carga Horária - 12h
Programa:

1 Rotinas de Admissão
1.1 Diferença entre Autônomo e Empregado
1.2 Tipos de Contratos de Trabalho
1.3 Documentação Necessária
1.4 Contrato de Experiência
1.5 Exame admissional
1.6 Vale - Transporte ( Opção )
1.7 Termo de Responsabilidade e Ficha de Salário- Família
1.8 Declaração de Dependentes para IR
1.9 Cadastramento do PIS
1.10 C.B.O ( Código Brasileiro de Ocupação )
1.11 Acordo de Prorrogação de Horário
1.12 Acordo de Compensação de Horas
1.13 Livro de Registro de Empregados
1.14 Livro de Inspeção de Trabalho
1.15 Quadro de Horário de Trabalho
1.16 CAGED

2. Cálculo de Folha de Pagamento

2.1 Adiantamento Quinzenal ( Folha e Recibo )
2.2 Salário e Remuneração
2.3 Hora - Extra
2.4 Adicional Noturno
2.5 Adicional de Insalubridade
2.6 Adicional de Periculosidade
2.7 Gratificações
2.8 Descanso Semanal Remunerado
2.9 Vale - Transporte
2.10 PAT ( Programa de Alimentação do Trabalhador )
2.11 Ajuda de Custo
2.12 IRRF
2.13 INSS
2.14 Contribuição Sindical
2.15 Cálculo de Preenchimento GFIP
2.16 Cálculo de Preenchimento GPS

3. Cálculo de Décimo Terceiro

3.1 Primeira Parcela ( Cálculo e Recibo )
3.2 Segunda Parcela ( Cálculo e Recibo )

4. Cálculo de Férias

4.1 Férias Normais
4.2 Férias Coletivas
4.3 Férias Pecuniário

5. Cálculo de Rescisão de Contrato

5.1 Tipos de Rescisão Contratual
5.2 Aviso Prévio
5.3 Preenchimento de Rescisão
5.4 GRRF
5.5 Documentação Necessária para Homologação
5.6 Exame Médico Demissional
5.7 CAGED

6. Outros Assuntos

6.1 Salário Complessivo
6.2 Acidente de Trabalho
6.3 Suspensão, Interrupção e Extinção de Contrato
6.4 Entidade sem Fins Lucrativos
6.5 Microempresas e Empresa de Pequeno Porte
6.6 Estágio
6.7 Calendário de Obrigações
6.8 Escala de Revezamento

Mudança da Aneel pode dobrar tempo para retorno do investimento em placas solares

Aneel afirma que mudança no no sistema de compensação de créditos pode elevar o tempo de payback em 100% do investimento feito pelo consumidor recifense

@Fonte: Portal JC Online - Economia - 27/11/2019


Em análise pela Aneel, a proposta de mudança no sistema de compensação de créditos da geração distribuída de energia solar pode elevar o tempo de payback do investimento feito pelo consumidor residencial em quase 100% no Recife, segundo o índice Comerc Solar, que avaliou o impacto da mudança em todas as capitais do País.

Atualmente, nos números da Comerc, o tempo para retorno do investimento feito pelo consumidor residencial em energia solar gira em torno de 3,6 anos na capital pernambucana, mas pode saltar para até 7,3 anos, o que representa a possibilidade de crescimento de 98% em tempo para justificar a aplicação.

Marcel

"Hoje quase a totalidade dos estados têm retorno em menos de cinco anos, enquanto os equipamentos duram em média 20 anos. Isso pode subir para sete ou oito anos em média", diz o diretor de eficiência e energética e energia solar da Comerc, Marcel Haratz.

Na regra atual da Aneel, quando a compensação de energia se dá na baixa tensão, quem possui geração distribuída deixa de pagar todas as componentes da tarifa de fornecimento sobre a parcela de energia consumida que é compensada pela energia injetada.

Caso a medida seja aprovada, o uso da rede de distribuição e os encargos passariam a ser pagos pelos consumidores que possuem geração distribuída, não impactando mais a tarifa de quem não tem o sistema.

"Tem cinco alternativas sendo discutidas. Na última audiência pública, a Aneel sinalizou o caminho da alternativa de número 5, o que poderá fazer com que quase dobre o tempo de retorno do investimento na maioria dos estados do País", explica Haratz.

No ranking residencial da Comerc, o payback do investimento solar no Recife coloca a cidade na 20 posição dentre 27 capitais. Teresina é o local onde hoje a taxa de retorno é mais rápida, pagando-se em 2,8 anos, quando se trata de baixa tensão (residencial).

Outro ranking, que avalia o payback da média tensão (pequenos comércios e indústrias) , o melhor retorno hoje está em Vitória, com investimento retornando em 4,7 anos. Nesse caso, Recife ocupa o 18° lugar, com retorno de investimento em 6,2 anos. Aplicando-se a mudança regulatória da Aneel, o payback da média tensão em Pernambuco subiria para 7,6 anos.

"No caso da média tensão, já não há subsídio pelo uso do fio, e isso implica numa menor variação do tempo de payback. De forma geral, o que a gente espera agora é que a nova resolução, seja como for, venha para ficar, seja de fato uma resolução para sempre e traga estabilidade para o setor", avalia o diretor.